Museu Ciência e Vida

Museu Ciência e Vida

Tesouros do Museu Nacional

A exposição coleções científicas formadas por insetos, moluscos, rochas e outros. Ao todo são 92 peças em três dimensões do acervo arqueológico e paleontológico do Museu Nacional. Além das peças, a exposição traz reproduções fotográficas de uma preguiça gigante, um meteorito de bendengó e do trono africano de Daomé.

Reflexo das Marés

Desenvolvida pelo Núcleo de Estudos em Manguezais (Nema), da UERJ, a mostra tem como objetivo conscientizar o visitante sobre a importância desse ecossistema para a sobrevida de muitas espécies. A mostra revela toda a riqueza de um dos ecossistemas mais produtivos do mundo: o manguezal. Ao todo são 25 registros fotográficos da fauna e flora dos manguezais brasileiros e até mesmo de outros países.

Leonardo da Vinci – Maravilhas Mecânicas

A exposição contempla a essência criativa de um cientista e surpreende ao recriar modelos em três dimensões de alguns dos seus desenhos. Além das peças do acervo do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), a exposição reúne também textos e esboços ampliados da obra do cientista.

Pequenos Companheiros

A exposição temporária “Pequenos Companheiros” conta a evolução desses equipamentos ao longo dos anos e seus impactos no mundo contemporâneo. O objetivo é divulgar a importância destes equipamentos nas descobertas científicas e tecnológicas para a humanidade. A grande atração da mostra é a réplica em tamanho real do primeiro satélite artificial da Terra, o Sputnik I.

Do rádio a internet, do mapeamento de áreas urbanas a monitoração do clima, do celular ao sistema de navegação por satélite (GPS). Esses são só alguns dos benefícios gerados com o advento dos satélites artificiais. A exposição temporária “Pequenos Companheiros” conta a evolução desses equipamentos ao longo dos anos e seus impactos no mundo contemporâneo.
O visitante terá a oportunidade de conhecer de perto uma réplica em tamanho real do primeiro satélite artificial da Terra. Lançado pela União Soviética, em outubro de 1957, Sputnik I tinha a função básica de transmitir um sinal de rádio que podia ser sintonizado por qualquer radioamador em freqüências especificas. Foi com o lançamento do satélite russo que iniciou-se a Era Espacial.

O objetivo da mostra é divulgar a importância destes equipamentos nas descobertas científicas e tecnológicas para a humanidade. Pequenos Companheiros é uma realização da Fundação Planetário da Cidade do RJ.

Fotografias da Ciência na Amazônia

A exposição temporária traz relatos documentados em fotos das excursões à Amazônia realizadas pelos cientistas: Rondon, Euclides da Cunha, Roquette-Pinto, Mário de Andrade, Evandro Chagas, Oswaldo Cruz e Carlos Chagas. A exposição, que pertence ao acervo da Fiocruz, ressaltada a importância da imagem enquanto instrumento de pesquisa dos cientistas.

Céu, espelho das Culturas

A exposição, que pertence a Aliança Francesa, aborda a diversidade das representações do céu através dos tempos e culturas. Ao longo da exposição, o visitante verá que o processo de evolução dos estudos da Astronomia sempre esteve atrelado a diferentes conceitos sejam eles, científicos ou religiosos. Não disponível para agendamento.

Horários: de terça à sábado, das 9h às 17h;
* Para o público escolar e grupos, as exposições são agendadas.

Planetário

Com uma cúpula de oito metros de diâmetro, o Planetário Marcos Pontes apresenta um sistema de alta tecnologia que permite a visualização do universo na sua amplitude. A partir do projetor digital é possível vislumbrar o céu nas diferentes estações do ano como também ver as configurações celestes através de figuras mitológicas. Ainda no planetário, o visitante tem a oportunidade de conhecer o processo de formação estelar, os planetas do Sistema Solar e outras particularidades do mundo da Astronomia. A sessão tem a duração aproximada de 50 minutos.
As sessões são conduzidas por mediadores capacitados para dar o suporte necessário. A apresentação tem duração média de 50 minutos. Capacidade: 52 lugares.

Agendamento

O programa de atendimento ao público escolar é direcionado as escolas e grupos. Trata-se de um serviço de visitação mediada definido de acordo com a faixa etária e/ou escolar do grupo. Para fazer o agendamento é necessário ter, no mínimo 30 e, no máximo, 68 participantes.

« Voltar